Há um consenso entre os educadores de música de que seus cursos são alguns dos mais difíceis de combinar com a tecnologia no ambiente de aprendizado em sala de aula.

 

As aulas de música escolar são tradicionalmente baseadas no desempenho, com o objetivo principal de aprendizagem focado em um aluno, melhorando sua habilidade individual com instrumentos no contexto de um grande conjunto. 

 

Neste post, mostraremos as tecnologias digitais que Brian Lawrence, professor de banda da International School em Bellevue, Washington, usa com seus alunos para o crescimento individual e conjunto, ensinar e refinar conceitos técnicos e maximizar a eficiência do seu programa de banda.  Ele está em seu primeiro ano de ensino de banda na International School,  uma escola pública no Distrito Escolar de Bellevue, com uma demanda de 564 alunos, do 6º ao 12º ano. Todos os alunos frequentam aulas de música ou artes visuais durante o escolar. O ensino na International é de 1 para 1 e cada aluno e funcionário recebe um laptop para uso escolar e doméstico.

Os dispositivos portáteis são sensíveis a canetas touch, o que permite tanto aplicativos tradicionais quanto o uso de novas tecnologias. “Somos uma Microsoft Showcase School , o que significa que trabalhamos de perto com a Microsoft para testar novas tecnologias inovadoras em sala de aula. Somos considerados um modelo para as escolas em nossa região, com convidados visitando regularmente as nossas instalações para ver a incorporação dessas tecnologias no ambiente de sala de aula”, diz Lawrence.

Na escola que Brian leciona, trabalha-se em uma agenda de blocos todos os dias, onde, embora os alunos estejam matriculados em sete períodos, um cronograma de bloco significa que eles só frequentam quatro por dia. Seus alunos da 6ª série, por exemplo, tem aulas com duração de 60 minutos e encontram uns aos outros a cada oito ou dez dias escolares. Enquanto todos as outras séries tem aulas de 100 minutos por vez e cumprem cinco dias em dez.

“Esse cronograma, permite que o professor mergulhe em conceitos avançados durante a aula, mas também pode dificultar que os alunos permaneçam envolvidos ou tenham resistência física suficiente para tocar seu instrumento por um período de aula inteiro. Fiz um esforço considerável para incorporar a tecnologia de dispositivos utilizados no ambiente de aprendizado, como um complemento às habilidades instrumentais que os alunos ganham em minhas aulas”, complementa.

Enquanto para os concertos ele utiliza partituras impressas, como departamento de música, seus colegas e ele fizeram um esforço coletivo para não usar papel em todas as outras atividades. Apesar de ser um desafio, com essa iniciativa, a escola acaba economizando recursos orçamentários, tempo de preparação e tempo de avaliação.

Abaixo estão alguns exemplos de maneiras pelas quais Brian utiliza tecnologias digitais no dia a dia de suas turmas:

Usando o OneNote como um hub

 “Todas as atribuições nas minhas aulas são criadas e armazenadas em um bloco de anotações de classe do OneNote . Essa localização centralizada permite que os alunos acessem materiais facilmente e a qualquer momento do ano letivo. Eu crio tarefas em um espaço somente para professores e posso enviá-las aos alunos em um momento apropriado, como o início de um período, por exemplo. Isso me permite planejar os exercícios e avaliações com antecedência, com a opção de esperar até um horário apropriado para publicar o trabalho. Isso é muito eficaz, principalmente quando estou ausente, por conta de uma apresentação em festival ou algum outro evento de desenvolvimento profissional, enquanto os alunos têm um substituto. Pela manhã, posso enviar rapidamente o trabalho do dia, para que eles concluam a atividade na minha ausência.”


Para seus alunos do ensino médio, Brian estabeleceu uma relação de confiança na qual está confortável em fazer com que eles se tornem seccionais enquanto ele estiver ausente. A página de atribuição fornece instruções sobre quando eles estarão tendo seccionais, e o que mais seja necessário completar enquanto eles estiverem em aula durante o dia. Para garantir que os substitutos sejam informados, o professor imprime a página e deixa em sua mesa para eles. “Se eu estiver em um festival ou outro evento, posso abrir meu laptop e verificar em tempo real o que os alunos estão fazendo.

Com o OneNote, também posso adicionar links para que os alunos acessem documentos compartilhados. Utilizo isso para inscrições, itinerários de festivais, folhas de permissão, programas de curso, calendários de eventos e muito mais.”, afirma Lawrence.

Testes de reprodução de vídeo

Com turmas que variam de 21 a 49 alunos, pode ser difícil avaliar os alunos com precisão, sem sacrificar o tempo de instrução de um grupo grande. No entanto, a avaliação individual é fundamental para fornecer feedback e medir o crescimento do aluno. Para avaliar com precisão o progresso do aluno, enquanto minimizava a perda total de tempo de aula, Brian projetou um sistema de teste de reprodução de vídeo.

“Eu usei o OneNote para criar uma página de instruções para os alunos gravarem seus vídeos em casa. Se os alunos entregarem suas tarefas a tempo, eu permito que eles façam reprises. Se eles não entregarem na hora marcada, o vídeo enviado receberá a nota final da tarefa. Isso incentiva a prática do aluno e homenageia aqueles que entregam o trabalho a tempo”.

Exemplo de como ele configura a página de instruções.

Exemplo de feedback que dado a um aluno.

 

Trabalhos colaborativos

Brian também incentiva seus alunos a comporem suas próprias músicas com um parceiro, ou em pequenos grupos, usando o espaço de colaboração no OneNote . Segundo ele, os alunos podem criar suas próprias páginas dentro do espaço de colaboração e trabalhar em projetos em tempo real e em vários dispositivos.

 

Um exemplo de atribuição de melodia e harmonização, em que os alunos foram primeiramente convidados a compor uma melodia curta, depois adicionar uma harmonização de outro instrumento ou de um acompanhamento de piano. Enquanto a maioria dos alunos escreveu sua tarefa em papel pessoal que eu importei para o OneNote, esse grupo gravou seu trabalho usando o programa gratuito MuseScore.


Atribuições reflexivas e definição de metas

 Depois de cada concerto, seus alunos e ele passam o tempo ouvindo e refletindo sobre o desempenho da turma. Enquanto o professor toca a gravação do concerto na aula, os alunos respondem a uma série de perguntas, com base no que ouvem. “Isso leva a uma discussão muito boa entre a turma, sobre o nosso desempenho e como planejamos o crescimento contínuo. Eu valorizo ​​essa tarefa porque ela me permite reunir um feedback de todos os alunos da minha classe”, diz. É comum, no entanto que alguns alunos não queiram compartilhar seu posicionamento diante de todo o grupo, de modo que, Brian fornece uma saída particular para que os alunos reflitam de forma honesta e precisa. “Eu também incentivo meus alunos a pensar sobre seus progressos e metas a longo prazo em relação à música. É importante para mim que eu conheça algo sobre cada um deles, e essas atribuições reflexivas me ajudam a alcançar alunos que, de outra forma, não estariam dispostos a falar em sala de aula”.

 Reflexão de um aluno depois do concerto de outono.

Objetivos musicais de outro aluno estabelecidos no início de 2018.

Fichas de trabalho

 
Todas as tarefas do departamento de música da escola são sem papel, a menos que um aluno solicite uma cópia impressa de uma tarefa. Isso economizou muito tempo para os outros professores e para a copiadora, tempo em que todos os professores podem se dedicar ao planejamento do crescimento dos alunos. Para criar uma atribuição digital, Brian importa um PDF da folha de trabalho do dia, adiciona instruções e, em seguida, disponibiliza para os alunos. Todo o processo leva menos de cinco minutos.

Quando a tarefa é revisada, Brian abre individualmente as páginas dos alunos para mostrar para toda a turma ou sua própria cópia na página de professor para mostrar exemplos ou soluções de respostas. Abaixo duas planilhas de alunos concluídas em sala de aula:

A 6 ª a atribuição de nota em aprender metros e tempo assinaturas.

 

Uma tarefa do ensino médio em aprender tendências individuais de entonação.

 

Aprendizagem Online Interativa

Existem inúmeros recursos online excelentes para os estudantes praticarem. “Um que eu amo usar é o www.musictheory.net . Posso criar um exercício personalizado para os alunos, colocá-lo em sua página do OneNote e fazer com que eles façam uma captura de tela da página da Web depois de concluírem a tarefa. Isso me permite monitorar o progresso do aluno com base em sua porcentagem de respostas corretas e permite que os alunos recebam feedback em tempo real do site”, diz. Como essas páginas são armazenadas em sua turma do OneNote, os alunos podem consultar os links de exercícios a qualquer momento para praticar os conhecimentos adquiridos em sala de aula.

Um exemplo de uma atribuição.

Estas são amostras da incorporação digital que Brian usa em sala de aula todos os dias. Como outras aulas de música, os alunos e ele passam a maior parte do tempo tocando instrumentos para desenvolver habilidades individuais e baseadas em grupos, onde, o uso da tecnologia na sala de aula não significa diminuir esse aprendizado, mas aumentá-lo. Para o professor, o objetivo é oferecer a melhor experiência de aprendizado para seus alunos neste mundo digital, sabendo da importância de incorporar a tecnologia nas aulas. “Enquanto ainda estou no meu primeiro ano de ensino, os resultados dessa incorporação mostram que ela é eficaz. Meus alunos e eu estamos animados com nossas incursões contínuas nas tecnologias de música digital nos próximos anos.”, conclui.